domingo, 20 de janeiro de 2013

agora com minhas palavras...

Que mãe, afinal, consegue prever o futuro? Ok, somos mães, não videntes ou profetizas. Corrijo-me então: que mãe, afinal, consegue planejar seu dia e colocar tudo em prática, com cada ponto no i que sonhou?

Tudo bem que a vida é cheia de imprevistos, seja para mães, pais, não-mães, não-pais, mas quando se tem filhos a coisa piora um milhão de vezes! não é preciso nem esperá-los nascer. A gestação é uma coisa imprevisível a começar pela indefinição do sexo do bebê (embora existam métodos supersticiosos, ou não, sobre o assunto)


Não escolhemos o sexo do filho, seu tamanho ou peso. Cor dos olhos ou qualquer outro traço genético. Alguns decidem o dia do nascimento do filho e marcam uma cesária para isso, entretanto se tudo fosse correr de modo natural, que dia nasceria? não se sabe!


Impossível prever se passaremos por incômodos como enjoos, azia e dor nas costas...tantas escapam, tantas sofrem...e de uma gestação para outra então, tudo muda inexplicavelmente.


Existe coisa mais imprevisível do que ser mãe? Até hoje não vivi. Não se sabe se o filho vai ser quietinho ou barulhento. Se vai dormir muito ou acordar de duas em duas horas pra mamar.


Não dá pra acordar ou dormir com hora marcada...nem sair de casa (algumas mães metódicas podem afirmar que dá sim, é só ser organizada e se programar! quero ver se seu filho resolve fazer cocô bem na hora) nem a volta dá pra prever...



Para mim até mesmo a criação se tornou imprevisível. 

Uma hora não vejo mal em palmadas (levei inúmeras e juro que não me fez mal e que amo minha mãe e muito), outra hora sou contra, quero ser uma mãe mais centrada que apenas senta e conversa com seu filho (o que também faço). Já fui das que deixam chorar e adormecer sozinho, me arrependo. gosto da ideia de amamentar até mais de dois anos, mas não fiz e estou satisfeita. Queria poder não trabalhar e ficar em casa cuidando das crianças, entretanto há dias em que dá um alívio sair pra dar aulas!!! Acho o "ó" criança na televisão, só que Benício assiste, moderadamente. Gostaria que meus filhos demorassem e muito pra experimentar certas "porcarias", mas não sou forte pra lutar contra o sistema (tias, tios, avós) sozinha. Só falta eu estar grávida de uma menina e comprar um bolsa rosa ou lilás!!


O importante é ter consciência dessa imprevisibilidade. Não se frustrar e achar que nada dá certo. Não sair como planejado não quer dizer que deu errado. Digamos que deu diferente! Vale se estressar, chorar e descabelar, de vez em quando! Vale assumir as fraquezas e voltar pra casa mais cedo. O que não vale, pra mim, é querer levar a mesma vida, uma vida só sua. Não é só o filho que é seu, você também é dele! 

já disse que odiava a imprevisibilidade de ser mãe, mas é imprevisível que seu filho aprenda a abrir a porta do quarto do nada e lhe acorde com um beijo: EU AMO A IMPREVISIBILIDADE DE SER MÃE!


Laís Dias

6 comentários:

  1. que lindo, lora

    quando eu for mãe, me lembra disso: "O que não vale, pra mim, é querer levar a mesma vida, uma vida só sua. Não é só o filho que é seu, você também é dele!"

    ResponderExcluir
  2. tu vai saber sozinha, Tatá...eu que não sou meiga descobri isso! =)

    ResponderExcluir
  3. Amei o texto, ri inumeras vezes,mas td que foi citado é verdade e é pq Rebeca só tem 11 meses.mais td é imprevisivel mesmo e realmente a vida nao é mais a mesma depois que temos nossos filhos!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu acabei de ler pra mim e pro pai da minha filhota... engracado como tudo eh tao complexo mas visto de forma tao simples... adorei suas palavras ;)

    ResponderExcluir
  5. brigada, Renêe! em breve vcs estarão experimentando mais dessa imprevisibilidade tão maravilhosa!

    beijos

    ResponderExcluir